Parte 1.3. Sob signo de Narciso: da luz e da visão


1.3 Olho e a retina: projeção



estrutura do olho (parte retiniana)

   A retina faz parte do cérebro e é o interposto entre o cérebro e olho que está exposto ao mundo (Descartes). Como o cérebro está protegido e fechado na caixa craniana, é obrigado a estar privado do mundo exterior, e assim ter uma visão que é apenas interpretação visual do mundo.

A retina é uma rede muito fina de células fotorrecetoras que cobre a parede do fundo do olho. E como é uma extensão do sistema nervoso tem células típicas chamadas de neurónios. É responsável pela primeira etapa da interpretação da informação ao separar e compartimentar cada tipo de informação (cor, forma, etc).

As células fotorrecetoras absorvem a energia da luz, extraem dela a informação visual, e principalmente transformam-na em impulsos eletroquímicos, que é a única linguagem que o sistema nervoso entende.

Função retiniana: 1º tradução da informação; 2º compartimentação da informação.


Classes de células fotorrecetoras:

  • ConesForma: cónica. Quantidade: menor. Sensibilidade luminosa: aguenta intensidades altas e é responsável pela visão fotópica (de dia). Sensibilidade espectral: mais sensível aos comprimentos de onda altos, e o seu pico está nos 555 nm, pelo que a cor mais intensa é o amarelo. Distribuição: concentração na Fóvea (local ínfimo 0,5 mm de diâmetro e menos de 0,1% da totalidade do olho).

    Os cones em si não são todos iguais. Há três tipos de cones com sensibilidades autónomas que designam-se de azul, verde e vermelho (Thomas Young). O cone azul é mais sensível à zona baixa dos c.o. e é o que temos em menos quantidade. Os cones verdes e vermelhos são sensíveis à zona média, cuja justaposição coincide no amarelo. Os cones vermelhos estão na transição do amarelo para o laranja, enquanto o verde está na transição para o verde.
  •  BastonetesForma: cilíndrica. Quantidade: abundante, por cada cone há 20 bastonetes ( 120). Sensibilidade luminosa: muito sensível à luz, ao movimento e sombras, e é responsável pela visão escotópica (de noite). Sensibilidade espectral: mais sensível aos comprimentos de ondas mais baixos, e o seu pico está nos 505 nm, pelo que a cor (tom cinza) mais intensa e clara é o verde. Distribuição: concentração à volta da fóvea como uma coroa a uma distância de 20-30º.


Qualidades da visão:





Continuação: 

Parte II. Sob o signo de Medusa: da visão e da cegueira e Teoria da Forma Visual: Imagens